Cevacine | Centro de Vacinação em Curitiba
  Quem somos   Vacinação   Localização   Contato
 

Vacinação

Calendários de vacinação: Perguntas freqüentes:
Adolecentes e Adultos
Infantil
Clique aqui
Informações sobre doenças:

Caxumba

A caxumba é uma doença grave. As glândulas produtoras de saliva aumentam, causando muita dor no local e no resto do corpo, além de febre e dor de cabeça. Nos homens existe um possível risco de causar danos à fertilidade, pois esta doença pode desenvolver uma inflamação nos testículos, já nas mulheres o risco de causar infertilidade é menor.
A transmissão se dá através do ar ou diretamente por gotículas contendo o vírus ou pela saliva e urina, no período de 6 a 7 dias antes da manifestação dos sintomas até nove dias após o surgimento das manifestações clínicas.
A caxumba na gestação não acarreta prematuridade ou malformações fetais, porém um número significativo de abortos espontâneos está associado à infecção durante o primeiro trimestre gestacional.
Sua prevenção se dá através da vacina tríplice viral (vacina contra Sarampo, Caxumba e Rubéola) administrada para todas as idades, em crianças à partir de 1 ano de idade. Mulheres grávidas, ou com suspeita de gravidez, não podem receber a vacina.

Coqueluche

A coqueluche ou “tosse comprida” é uma doença bacteriana contagiosa, que provoca desconforto. A tosse convulsa clássica começa com sintomas leves no trato respiratório superior, que duram cerca de uma a duas semanas. Esse estado progride para uma tosse paroxística grave, geralmente acompanhada de um guincho inspiratório característico, que dura cerca de quatro a seis
A transmissão ocorre pelo contato direto com as gotículas das secreções respiratórias de um indivíduo infectado. Também pode ocorrer transmissão indireta por meio de objetos que tenham estado em contato recente com essas secreções.
Causa episódios graves de tosse repetida e guincho respiratório. Esses ataques de tosse podem trazer dificuldades para a alimentação, respiração ou ingestão de líquidos.
Em adultos, a prevenção é dada pela aplicação da vacina contra Difteria, Tétano e Coqueluche (tríplice bacteriana para adulto - DTPa).
Em crianças, a prevenção é dada pela aplicação da vacina contra Difteria, Tétano, Coqueluche, Haemophilus influenza tipo b e Salk (Pentavalente), que é administrada em crianças a partir de 2 meses de idade.

Dengue

É uma doença viral, transmitida pela picada da fêmea Aedes aegypit.

A grande maioria das infecções é assintomática. Quando surgem, os sintomas costumam evoluir em obediência a três formas clínicas: dengue clássica, forma benigna, similar a uma gripe; dengue hemorrágica, mais grave, caracterizada por alterações da coagulação sanguínea; e a chamada síndrome do choque associado à dengue, forma raríssima, mas que pode levar à morte, se não houver atendimento especializado.

Principal forma de combater a dengue é realizando a vacinação, onde irá proteger contra os 4 tipos de dengue, administrada em pessoas de 9 a 45 anos.

Difteria

A difteria é conhecida como crupe. A infecção ocorre nas membranas mucosas do trato respiratório superior ou na pele.
A doença se apresenta mais frequentemente como uma nasofaringite membranosa ou laringotraqueíte obstrutiva associada à febre de baixo grau. Pode ocorrer mais raramente infecção cutânea, vaginal, da conjuntiva ou ótica. As complicações mais graves incluem a obstrução das vias aéreas superiores, provocada pela formação extensiva de membrana, miocardite e neuropatia periférica. A taxa de casos fatais chega aos 10%, mas é mais elevada em crianças pequenas e nos adultos com mais de 40 anos de idade.
A transmissão acontece pelo contato direto do doente ou dos portadores assintomáticos com pessoa suscetível. O contágio ocorre por meio de gotículas de secreção respiratória, eliminadas por tosse, espirro ou ao falar.
Os sintomas mais comuns são febre, dor de garganta e fraqueza.
Em adultos, a prevenção é dada pela aplicação da vacina contra Difteria, Tétano e Coqueluche (tríplice bacteriana para adulto - DTPa).
Em crianças, a prevenção é dada pela aplicação da vacina contra Difteria, Tétano, Coqueluche, Haemophilus influenza tipo b e Salk (Pentavalente), que é administrada em crianças a partir de 2 meses de idade.

Doenças pneumocócicas

Doenças pneumocócicas são infecções causadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, também conhecida como pneumococo.

A doença pneumocócica é complexa e tem múltiplas manifestações, incluindo:
Meningite (inflamação das membranas que envolvem o sistema nervoso central)
Septicemia (infecção generalizada)
Bacteremia (infecção na corrente sanguínea)
Pneumonia (infecção dos pulmões)
Otite Média (inflamação do ouvido , geralmente devida a infecção).
Os sinais e sintomas típicos de pneumonia são tosse produtiva, febre e detecção radiográfica de um infiltrado.

A dor pleurítica persistente sugere empiema (derrame pleural, geralmente em que detecta-se a presença de pus na cavidade), a complicação mais comum da pneumonia pneumocócica. A vacinação pode prevenir estas doenças e também, diminuir a disseminação da bactéria na comunidade.

Vacina pneumocócica 10 Valente protege seu filho contra sepse, meningite, pneumonia bacteremica, bacteremia e otite média causada pelo Streptococcus pneumoniae. Esta vacina pode ser realizada em crianças entre 2 meses e 2 anos de idade.

Vacina Pneumocócica 13 possui os 13 sorotipos mais prevalentes nas doenças pneumocócicas como meningite, sepse, bacteremia, pneumonia e otite média aguda, pneumonia necrotizante. A vacina Pneumocócica 13 é a única vacina licenciada no Brasil para proteger contra pneumonia não invasiva adquirida na comunidade. Esta vacina pode ser realizada em crianças e adolecentes e adultos, a partir de 2 meses de idade.

Vacina pneumocócica 23, protege contra pneumonia e bacteremia e dá imunidade por 5 anos. Esta vacina é realizada normalmente em pacientes com alguma comorbidade, acima de 2 anos de idade.

Febre Amarela

A febre amarela é uma doença infecciosa viral aguda, não contagiosa. A transmissão se dá por picada de mosquitos infectados.
A febre amarela silvestre é transmitida pelo mosquito Haemagogus e Sabethes e a urbana pelo Aedes aegypti (o mesmo que transmite a dengue).
Sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômitos, dores no corpo, pele e olhos amarelos e hemorragias de gengivas, nariz, estômago, intestino e urina.
É endêmica na África e nas matas da América do Sul. No continente africano, a doença atinge vários países, inclusive as zonas urbanas. Na América do Sul, é transmitida por mosquitos silvestres.
A principal medida profilática é a vacina, que tem imunogenicidade muito alta, formando anticorpos protetores no organismo da pessoa vacinada.

Febre Tifoide

A Febre Tifóide é uma doença bacteriana aguda, causada pela Salmonella Typhi, que difere da maioria das outras espécies de salmonela por infectar somente seres humanos. Após invadir a parede intestinal e alcançar a circulação sanguínea, a bactéria pode invadir qualquer órgão e multiplicar-se no interior de células de defesa. A presença da bactéria no sangue determina o início dos sintomas.
O modo de transmissão da doença é por via fecal-oral, principalmente através da ingestão de água ou de alimentos contaminados com fezes humanas ou com urina contendo Salmonella Typhi. Pode ser transmitida também pelo contato direto (mão-boca) com fezes, urina, secreção respiratória, vômito ou pus de um indivíduo infectado. Este indivíduo pode eliminar a bactéria, nas fezes e na urina, por um período de até 3 meses, independentemente de apresentar os sintomas da doença. Portadores crônicos podem transmiti-la por até um ano.
Doença que se caracteriza por febre alta, dores de cabeça, mal-estar geral, falta de apetite, diarreia e tosse seca, podendo aparecer manchas rosadas no tronco.
A vacinação contra febre tifóide é recomendada para pessoas sujeitas a exposições excepcionais como os trabalhadores que entram em contato com esgotos, para aqueles que ingressem em zonas de alta endemicidade como por ocasião de viagem, e ainda, para quem vive em áreas onde a incidência é comprovadamente alta.

Haemophilus Influenzae tipo b

Conhecida como Hib, o Haemophilus influenzae tipo b é uma bactéria que pode causar meningite, pneumonia e otite, bem como infecções no nariz, garganta, pele e articulações.
Sua transmissão é dada pelas vias respiratórias, através do contato direto com secreções expelidas pelo portador, que muitas vezes não tem sintoma algum, através de tosse, espirro ou até mesmo na fala.
O sintoma mais comum é a rigidez na nuca, porém, outros sintomas também são clássicos como, febre, dores de cabeça, vômitos, convulsões, e em casos mais graves, paralisias. Em crianças menores, o quadro pode ser notado por choro constante, irritabilidade e abaulamento na moleira.
A complicação mais grave da infecção pela bactéria Haemophilus Influenzae tipo B, é a causa da Meningite bacteriana, muito grave, podendo ocasionar até a morte, principalmente em crianças menores de 5 anos.
A prevenção é dada pela aplicação da vacina contra Difteria, Tétano, Coqueluche, Haemophilus influenza tipo b e Salk (Pentavalente), que é administrada em crianças a partir de 2 meses de idade.

Hepatite A

A Hepatite A é causada por um vírus que aumenta o tamanho do fígado e compromete a sua função. O vírus da Hepatite A é apenas um dos diversos vírus que podem causar este tipo de inflamação, responsável pelo aumento do número de pessoas doentes e as perdas econômicas em todo o mundo.
Os primeiros sinais de infecção são: febre, fadiga, vômito e diarreia. Após 1 ou 2 semanas, o fígado aumenta de tamanho e pode ocorrer icterícia (pele e olhos amarelados). A urina escurece e as fezes ficam claras ou brancas durante o período da icterícia. Em alguns casos, algumas pessoas com hepatite A podem não apresentar sintomas, porém podem continuar infectadas e transmitir os vírus para outras pessoas. A hepatite A tem duração de 3 a 6 semanas, afastando os indivíduos de suas atividades rotineiras, no entanto, em alguns casos os sintomas se prolongam por até 6 meses.
O vírus da Hepatite A se multiplica no fígado e é eliminado pelas fezes. Desta forma, ele normalmente entra no organismo pela boca e é transmitido através de alimentos, água ou objetos contaminados com fezes ou secreções do trato gastrintestinal. O vírus pode ser disseminado pelas mãos de pessoas infectadas por contato direto ou também pela manipulação de objetos contaminados.
A doença não tem tratamento específico. Durante a fase aguda da doença, os indivíduos devem ser afastados da comunidade (creches, escolas, trabalho).
A melhor forma de se prevenir essa doença, é através da vacina contra Hepatite A, que pode ser feita a partir de um ano de idade. Em adultos pode ser administrada junto com a vacina contra Hepatite B (Hepatite A+B combinada).

Hepatite B

A Hepatite B é uma inflamação do fígado e afeta pessoas em todo o mundo.
O agente pode ser encontrado em todos os líquidos orgânicos (sangue, urina, lágrima, sêmen, secreção vaginal, leite, bile, sucos digestivos), mas raramente nas fezes.
A transmissão é predominantemente sexual, parenteral e vertical; embora a infecção por meio da forma fecal-oral possa ocorrer, ela é rara.
A presença dos sinais e sintomas varia pela idade. A maioria das crianças com menos de 5 anos e adultos imunossuprimidos recém infectados são assintomáticos, enquanto 30% a 50% das pessoas com idade acima de 5 anos possuem sinais e sintomas iniciais, que são: febre, fadiga, perda de apetite, náusea, vômitos, dores abdominais, urina escura, dor nas articulações. A Hepatite B pode se tornar crônica, onde os doentes correm o risco de desenvolver doença hepática potencialmente fatal, cirrose ou câncer de fígado. O doente crônico pode transmitir a doença durante a vida toda, sem saber que estão contaminados.

O mais importante avanço no controle da infecção é a vacinação. A vacina contra a hepatite B é altamente imunogênica, protegendo a maioria das crianças e dos adultos após a vacinação completa. Em recém-nascidos, a primeira dose deve ser aplicada logo após o nascimento, nas primeiras 12 horas de vida. Em adolescentes e adultos nunca vacinados, pode ser administrada junto com a vacina contra Hepatite A (Hepatite A+B combinada), ou apenas a vacina Hepatite B.

Herpe Zoster

O herpes-zóster, popularmente conhecido como cobreiro, é causado pelo mesmo virus da catapora, o que normalmente acontece na infância, o vírus permanece adormecido no sistema nervoso ao longo da medula espinhal do indivíduo.

Quando há queda da imunidade, pode ocorrer a reativação do vírus e o desenvolvimento da herpes-zóster.

O principal sintoma em adultos é a dor intensa na extensão do nervo da medula espinhal até a pele, que pode permanecer mesmo após a cura das lesões da pele. É a chamada neuralgia pós-herpética. Na maioria das vezes, essa neuralgia pós-herpética se resolve nos primeiros 3 meses, mas em alguns casos pode persistir por anos.

HPV

O HPV (papilomavirus humano) é um vírus altamente contagioso que afeta tanto homens quanto mulheres, e podem causar displasia cervical, câncer de colo uterino invasivo, câncer da vulva, câncer vaginal, câncer de penis, câncer de ânus e verrugas genitais.
Existem mais de 200 tipos identificados, sendo que 40 tipos tem preferência pela região genital e 15 tipos podem desenvolver doenças.
A principal via de infecção é transmissão sexual, mas a infeccção pode ocorrer também por meios não sexuais como da mãe para o rescém-nascido, compartilhamento de roupas íntimas, toalhas, sabonetes e vasos sanitários.
A principal forma de prevenção é a vacina. Há 2 vacinas disponíveis no Brasil.
Vacina Bivalente, responsável pela imunização contra os tipos 16 e 18, podendo ser administrada em mulheres a partir de 9 anos de idade.
Vacina Quadrivalente, responsável pela imunização contra os tipos 6,11,16 e 18 podendo ser administrada em homens e mulheres entre 9 e 45 anos de idade.

Meningite Meningococica

A meningite é um processo inflamatório das meninges, que são as membranas que envolvem o cérebro. É uma doença infecciosa aguda que pode ser causada por vírus, bactérias e fungos. Qualquer pessoa pode ser infectada pela meningite, desde bebês e crianças, até adultos.

Como a maioria dos microorganismos, esta bactéria também se divide em subtipos. Os principais tipos de meningite meningocócicas capazes de provocar a doença nos seres humanos são A,B,C,W,Y e X.

A transimssão se dá através do contato direto, de pessoa para pessoa por meio de secreções respiratórias (tosse e espirro de pessoa infectada). A transmissão ocorre com maior facilidade em ambientes fechados e com aglomeração de pessoas.

Os sintomas são coriza, febre, irritabilidade, perda de apetite, náusea, dor de garganta, erupção cutânea hemorrágica, meningismo (rigidez na nuca), crises convulsivas, perda de consciência e até, possível óbito.

A principal forma de prevenção da meningite bacteriana é por meio de imunização. E o ideal é que ela comece o mais cedo possível. Além dos cuidados paliativos como a lavagem das mãos e manter o ambiente arejado.

Existem vacinas consideradas seguras e eficazes para os tipos de meningite meningocócica bacteriana A, B, C, Y e W.

A vacina meningocócica ACWY, é indicada para crianças a partir de 2 meses de idade e para adultos de qualquer idade.

A vacina Meningocócica C, é indicada para criançãs a partir de 3 mesesde idade e para adultos de todas as idades.

A vacina Meningocócica B, é indicada para crianças a partir de 2 meses de idade e para adultos de até 50 anos de idade.

Poliomielite

A poliomielite é uma doença infecciosa que pode ser causada por três tipos de poliovírus ( tipos 1,2 e 3) da família Enteroviridae.
A transmissão se dá pela via fecal-oral a partir de objetos, água ou alimentos contaminado por fezes.
Em mulheres grávidas, o poliovírus pode atravessar a membrana placentária, causando doença grave no recém-nascido.
A maioria dos infectados desenvolvem doença leve, com febre, mal-estar, irritação das orofaringe, anorexia e cefaléia. Mas, pode ocorrer da doença evoluir para um quadro de meningite asséptica. Alguns pacientes infectados, após a meningite asséptica, evoluem com lombalgia e mialgia graves, bem como fraqueza motora. É a doença paralítica, que, após algumas semanas, é revertida até certo grau. Entretanto, a maioria dos pacientes apresenta sequelas neurológicas residuais.

Existem dois tipos de vacina disponíveis:
• Vacina VOP (oral ou Sabin), contendo poliovírus em forma atenuada.
• Vacina VIP (injetável ou Salk), contendo poliovírus em forma inativada.

Rotavirus

O rotavírus é um vírus comum do trato digestivo, muito fácil de contrair. Infectam os humanos e os animais.
Há diferentes tipos de rotavírus em circulação, porém os tipos G1, G2, G3, G4 e G9 causam mais de 95% das infecções em todo o mundo.
O rotavírus é a causa mais frequente de diarreia, vômito e/ou febre em crianças. A infecção por rotavírus afeta fundamentalmente crianças menores de 5 anos de idade, concentrando-se nos menores de 2 anos. Uma primoinfecção poderá aparecer com vômitos profusos, diarreia líquida com ou sem mucosidade e febre que pode ser de até 40°C ou mais. O risco mais significativo é a desidratação que se apresenta no lactente menor durante a etapa de vômito e diarreia. O espectro clínico pode, no entanto, variar de uma infecção assintomática a uma diarreia leve; vômitos profusos com escassa diarreia, ausência ou presença de febre, ao quadro severo, quando se apresentam todos os sintomas acima mencionados. Sua transmissão é dada através das fezes ou ingestão de alimentos contaminados com o vírus.

Há 2 tipos de vacina contra o Rotavírus:
A Monovalente, que protege o sorotipo G1.
A Pentavalente, que protege os sorotipos G1, G2, G3, G4 e G9.

Rubeola

A rubéola é uma doença viral aguda, muito contagiosa, que é transmitida com extrema facilidade. A pessoa doente pode apresentar manchas avermelhadas na pele, começando no pescoço, e que depois se alastram para o tronco, pernas e braços, geralmente desaparecem em 24 horas. Para as mulheres grávidas existe o risco adicional da chamada Síndrome de Rubéola Congênita. Isso significa que se uma mulher contrair a doença durante a gravidez, o bebê pode apresentar má-formação, que pode incluir problemas cardíacos, cegueira, surdez e retardo mental, ou ainda risco de aborto espontâneo.
O período de transmissão varia de 5 a 7 dias antes do aparecimento do exantema e pelo menos de 5 a 7 dias após. Ocorre por contato com secreções nasofaríngeas de pessoas infectadas.
Sua prevenção se dá através da vacina tríplice viral (vacina contra Sarampo, Caxumba e Rubéola) administrada para todas as idades, em crianças à partir de 1 ano de idade. Mulheres grávidas, ou com suspeita de gravidez, não podem receber a vacina.

Sarampo

O sarampo é uma doença altamente contagiosa com alta taxa de transmissibilidade. Os sintomas inicias são febre alta, tosse rouca e constante, coriza, conjuntivite, hipersensibilidade a luz, manchas brancas na mucosa da boca e posteriormente manchas avermelhadas na pele, sendo iniciado no rosto e progredindo em direção aos pés, com duração de três dias e desaparecendo na mesma ordem do aparecimento. Estas complicações podem deixar seqüelas graves, até mesmo fatais.
Sua transmissão é dada de pessoa para pessoa de 2 a 4 dias antes do aparecimento das manchas até que desapareçam por completas, e é feita através de secreções nasofaríngeas expelidas ao tossir, espirrar e falar, sendo possível também por dispersão do vírus em locais fechados.
Sua prevenção se dá através da vacina tríplice viral (vacina contra Sarampo, Caxumba e Rubéola) administrada para todas as idades, em crianças à partir de 1 ano de idade. Mulheres grávidas, ou com suspeita de gravidez, não podem receber a vacina.

Tetano

O tétano é causado por uma bactéria que pode ser encontrada no solo, fezes, pedaços de madeira e de metais. Geralmente entra no corpo através de um corte ou de uma ferida contaminada. O tétano é uma doença que afeta os músculos, provocando espasmos musculares dolorosos e pode, frequentemente, causar problemas respiratórios e morte. A taxa de casos fatais é em torno de 10%.
Em adultos, a prevenção é dada pela aplicação da vacina contra Difteria, Tétano e Coqueluche (tríplice bacteriana para adulto - DTPa) ou vacina contra o Tétano isolado.
Em crianças, a prevenção é dada pela aplicação da vacina contra Difteria, Tétano, Coqueluche, Haemophilus influenza tipo b e Salk (Pentavalente), que é administrada em crianças a partir de 2 meses de idade.

Tuberculose

É uma doença infectocontagiosa causada por bactérias pertencentes ao complexo Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch, que cresce com sucesso em tecidos de alta concentração de O2, como exemplo, os pulmões.
A transmissão do bacilo se dá por gotículas transformadas em aerossóis por tosse, espirro ou fala. As gotículas permanecem suspensas no ar e penetram nas vias respiratórias ao serem inaladas. O período de incubação é, em média, de 4 a 12 semanas.
O quadro clássico compõe-se de tosse, inicialmente seca, após produtiva, com expectoração mucopurulenta.
Fadiga, emagrecimento, piora do estado geral, palidez, sudorese noturna intensa e febre vespertina são sintomas frequentes.
A vacinação com BCG é indicada para redução da incidência das formas graves de tuberculose, como meningite tuberculosa. É recomendado administrar a vacina BCG em todos os recém natos até os 30 dias de vida, desde que pesem, no mínimo 2kg.

Varicela (Catapora)

A Catapora é uma doença viral causada pelo vírus Varicela-Zoster, é muito contagiosa e responsável por epidemias sazonais em todo o mundo. Caracteriza-se por um quadro de lesões cutâneas acompanhadas de febre, mal-estar, perda do apetite e prurido (coceira) intenso.

Em geral é uma doença benigna, porém no ano de 2003, causou mais de 60 mortes no estado de São Paulo. Das complicações possíveis, destacam-se as infecções bacterianas na pele que podem tornar enormes proporções, levando, inclusive, à necessidade do uso de antibióticos e até de internação. Caracteristicamente, reduz em muito a imunidade do indivíduo e por isso pode facilitar a ocorrência de outras doenças infecciosas – para o imunodeprimido significa risco de morte. Em adolescentes e adultos, apresenta-se de forma mais grave. O doente de catapora, tardiamente, pode desenvolver o Herpes Zoster, causado por este mesmo vírus.

Indicações para vacinar
• Crianças a partir de 1 ano
• Adolescentes e Adultos
• Pacientes imunodeprimidos após avaliação médica

Considerações importantes

Alguns pontos indicam a vacinação contra a catapora:
Trata-se de um quadro desconfortável para o doente
A criança, ou o adulto com catapora, fica afastado das atividades habituais por pelo menos dez dias.
As lesões da catapora podem deixar cicatrizes para toda a vida.
O Herpes Zoster é uma complicação tardia da catapora
As complicações da varicela, apesar de raras, podem ser muito graves e até levar ao óbito.

Vacinação
• Contra indicações: quadro febril agudo ou alergia a um dos componentes da vacina; doenças ou tratamentos imunossupressores, e gravidez.
• Reações Adversas: são raras, ocorrendo de dez a quinze dias após a aplicação.
• Eficácia: as apresentações encontradas no Brasil têm eficácia de 70 a 90% para as formas leves e de 95 a 98% para as formas graves

Apresentações
• Vacina simples: Varicela
• Vacinas combinadas: Sarampo, Caxumba, Rubeola e Varicela

Intervalo entre outras vacinas
Recomenda-se aguardar de três a quatro semanas antes de aplicar outra vacina de vírus vivo atenuado.

Esquema de doses
• duas doses com intervalo de tres meses entre elas


Campanha de Preveno contra HPV

Voltar

Copyright © Cevacine | Rua Brigadeiro Franco, 974 - Estacionamento próprio - Curitiba, PR - Trabalhe Conosco | (41) 3322-9696